segunda-feira, 8 de junho de 2009

Hihi

Como eu aprendi a dançar funk

Não é preciso dizer que as coisas não vão bem. Todo mundo sabe disso. Os bancos fazem a festa e o dinheiro compra a tudo e a todos. Cidadãos têm armas em suas casas e a criminalidade ascende sem precedentes. Não parece haver ninguém que saiba o que fazer ou como acabar com esse estado social precário. É uma loucura desenfreada, tudo parece estar distorcido e insano.

Então, começamos a não querer mais sair de nossas casas, nos parece que esse é o único lugar onde existe segurança. Sentamo-nos em poltronas e lentamente o nosso mundo se torna menor, compacto, fútil e simples. Somente dizemos a nós mesmos: “Por favor, deixem-me sozinho no meu lar! Deixem-me com as minhas coisas! Deixem-me em paz!”. Como se fosse um efeito dominó, a única verdade que conhecemos é aquela que provém dessas “caixas” que chamamos de televisão, rádio, computador... Essas caixas se tornam proclamadoras da verdade absoluta. Já pararam pra pensar no poder que conseguem ter esses objetos insidiosos? Constroem e destroem presidentes, papas e primeiros-ministros. Hoje, são as ferramentas mais poderosas existentes. Imagine se as ditas cujas caíssem em mãos erradas... Pensando bem, será que já não caíram?

Acordem! Isso que vocês vêem e escutam não passa de um parque de diversões, um circo! Contadores de histórias, cantores, malabaristas, domadores de leões e jogadores de futebol. É algo para matar o tédio. Funciona como uma droga contra a miséria e sofrimento da existência humana. E muitas vezes devotamos atenções e emoções para essas meras caixas. Não existe atenção, amor, bondade e compaixão suficientes na Terra para podermos dar a esses “seres detentores das verdades”. Apesar disso, ficamos em frente delas, dia após dia, noite após noite, corados e crentes. E aquilo que dizem se torna tudo que sabemos. Começamos a acreditar nas ilusões que nos colocam; começamos a acreditar que aquela é a realidade e que nossas vidas não são reais. Passamos a fazer tudo que nos é posto. Vestimo-nos, comemos, criamos nossas crianças e começamos a pensar do modo como nos é colocado. E o pior, não percebemos. Isso meus amigos, é alienação em massa.

Sair disso? O primeiro passo é perceber que o ser humano é a verdadeira realidade, sua vida tem valor. Não deixem que suas virtudes se choquem contra paredes virtuais. Não procuramos as verdades, por isso acreditamos em tudo que nos é posto. Enquanto não passarmos de ovelhas de um sistema falho, vamos continuar a nos indignar com certos fatos sociais (corrupção e crimes), que são indiretamente nossa culpa. Penso que uma caixa tem menos valor que a vida de um ser humano, sendo assim, não pode ditar como devemos conduzir nossas vidas, nem interferir em nossas escolhas de ordem pessoal. Caso contrário, continuaremos isolados, carentes da concepção de como uma vida humana deveria ser.

Um comentário:

bruno disse...

hj apenas são alienados aqueles que não conhecem a historia e se deixam levar por qualquer coisa ou 'modinha' imposta pela midia. Pessoas cegas e ficando surdas, hj não é vc quem vota, a platinada q escolhe pra você.
viva a DEMOcracia...